Os 7 maiores ataques cibernéticos da história

ataques cibernéticos

Acredite: ataques cibernéticos são mais comuns do que se pensa. Elencamos os casos mais chocantes vividos no mundo até hoje

Uma pesquisa divulgada em 2015 sobre Segurança da Informação revelou que o número de ataques cibernéticos no Brasil cresceu 274% em relação ao período anterior – muito acima da média mundial, de 38%. Isso coloca nosso país em posição de destaque tanto entre os que mais realizam esse tipo de ataque quanto entre os que mais sofrem com ele.

Analisando os dados gerais, constata-se que 11% de todos os ataques cibernéticos do mundo acontecem aqui, colocando-nos na terceira posição do ranking global, atrás apenas dos Estados Unidos (15%) e da China, que concentra sozinha mais da metade de todos os ciberataques do planeta (51%).

O fato é que ataques cibernéticos são mais habituais do que se pensa. Ou pelo menos essa é a conclusão a que chegou um levantamento da Organização dos Estados Americanos (OEA). Segundo o órgão, o tipo mais destrutivo dessas invasões – capaz de deletar dados, invadir redes e até manipular sistemas e equipamentos – passou a ser mais comum do que o próprio roubo de dados, que, até então, presumia-se ser o crime cibernético mais recorrente.

Alguns casos, porém, ganharam notoriedade na mídia, principalmente os de grandes proporções e os que envolvem celebridades. Veja a linha do tempo com os 7 maiores ataques cibernéticos da história:

1.  2015: vazamento de dados de famoso site de traição

O site de encontros extraconjugais Ashley Madison, com mais de 37 milhões de inscritos, foi alvo de um ataque que divulgou nomes verdadeiros, endereços, números de cartões de crédito e até mesmo as fantasias sexuais dos usuários. Vazaram cerca de 10 gigabytes de dados. Por mais que o incentivo à infidelidade possa ter sido um dos motivos da ação, os hackers garantem que a invasão teria ocorrido por causa da possível má-fé do site: os invasores alegaram ser uma fraude o serviço que apagaria todos os registros de um inscrito, já que a empresa continuaria armazenando as informações de pagamento e o nome completo do usuário.

2. 2015: nem o FBI escapou de um ciberataque

A Hacking Team é uma empresa italiana que presta serviços de vigilância digital para diversos governos e entidades do mundo inteiro. Entre seus clientes estão o FBI, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos e o primeiro-ministro da Etiópia. Em 2015, a companhia sofreu um ataque cibernético que vazou 400 gigabytes de arquivos na internet.

3. 2014: nuas e expostas na rede

Lembra quando celebridades como Jennifer Lawrence, Avril Lavigne e Kim Kardashian tiveram fotos íntimas vazadas na internet? Atrizes e cantoras foram vítimas de crackers (hackers mal-intencionados) que identificaram uma brecha de segurança no iCloud, serviço de armazenamento em nuvem da Apple.

4. 2014: um ciberataque que podia ser coisa de cinema

Em novembro desse ano, a Sony Pictures foi alvo de uma invasão que causou prejuízo de cerca de 200 milhões de dólares para a empresa. Segundo o FBI, o motivo para o ataque teria sido o lançamento da comédia A Entrevista, na qual dois jornalistas são instruídos a assassinar o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un. Aparentemente, os norte-coreanos não viram graça na sinopse e promoveram o ciberataque que deixou toda a rede de computadores da Sony Pictures fora do ar e roubou 100 terabytes (mais de 102 mil gigas) de informações confidenciais (inclusive filmes não lançados).

5. 2013: hackers em ciberguerra?

O que talvez tenha sido o maior ataque cibernético da história aconteceu por causa de uma briga entre dois grupos de hackers. De um lado, uma organização que luta contra o avanço do spam chamado Spamhaus. De outro, a CyberBunker, uma das principais hospedeiras de sites. Nesse ano, a primeira bloqueou servidores que eram mantidos pela segunda, e o resultado foram ataques cibernéticos que acabaram atingindo a internet do mundo inteiro, comprometendo serviços como os da Netflix e causando instabilidade em sites de bancos e e-mails.

6. 2011: o teto de vidro das companhias de Segurança da Informação

A RSA Security é uma das principais desenvolvedoras de softwares de Segurança da Informação do planeta, mas isso não a impediu de sofrer um ataque cibernético que roubou uma quantidade enorme de dados. Outras companhias de Segurança da Informação, como a Symantec e a Kaspersky, também relataram tentativas de invasão.

7. 1982: os EUA, a União Soviética e os hackers

Em meio à Guerra Fria, hackers dos Estados Unidos alteraram um código de comando e conseguiram provocar uma explosão sem precedentes em um gasoduto soviético – e não precisaram disparar uma única arma para isso. Segundo integrantes do governo norte-americano, a explosão foi tão impressionante que pôde ser vista do espaço.

Você conhece outros ciberataques que merecem entrar nesta lista? Ajude-nos a mapear os maiores ataques cibernéticos da história! Confira também o nosso artigo Fraudes digitais: a minha empresa está em segurança? e veja como identificar se sua empresa está livre desse tipo de crime cibernético.

Related Posts

Deixe um comentário